Para Refletir

 

Comunicados

Informação 1: Links para novas postagens e para repostagens (novos links), você pode conferir na coluna a Direita em Acervo Discos de Umbanda.

Informação 2: com exceção das postagens (apontadas) no "Acervo Discos de Umbanda", todas as outras possuem links ou do Rapidshare, ou do 4Shared ou Megaupload, portanto, ainda não sabemos quais estão funcionando. PS: todos esses links serão trocados.

Informação

Comunicado:

Uma vez que o protetor de link que estava sendo utilizado apresentou problemas, informamos que passaremos a disponibilizar os links sem o protetor.

Os links das postagens a partir de 01/02/13, já estão sem protetor.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Mãe Menininha do Gantois "Gravado Ao Vivo no Gantois Salvador"


01- Entrevista Depoimento com Mãe Menininha do Gantois
02- Aguerê de Oshosi
03- Hamunha
04- Oração a Mãe Menininha
05- Ijexá de Oshun
06- Alujá de Shangô
07- Ibí de Oshalá
08- Depomento de Manoel Queiroga

Alabês: Vadinho (Rwm), Edinho (Gan e Rwm-Lé), Loló (Rwm-Lé) e Badaró (Rwm-Pri)

Lançamento: 1974, selo: Phonodisc.



Nota:
Este é um disco raríssimo e se por um lado é um excelente registro dos impressionantes Alabês que atuavam da casa do Gantois nos anos 70, por outro, ele peca pela pouca objetividade em focar uma figura tão forte na religiosidade brasileira como foi Mãe Menininha. Não que a homenagem tenha sido ruim (apesar do teclado horrível que se ouve ao fundo na faixa da entrevista, uma lembrança da estética da época), mas poderia ser mais completa, com perguntas mais valiosas para um registro deste porte. Mãe Menininha, na verdade era tão importante e tão emblemática para o Brasil que o disco ficou pequeno. Depois de ouvirmos o LP, ficamos querendo mais toques (que alabês são esses, por Zamby, que cacetada!! Ouvi poucos, muito poucos, desse nível!!) e, claro, mais cânticos – não há nenhum no disco - principalmente na voz de Mãe Menininha, ficamos curiosos para saber como era sua voz cantada e como puxava, naquela época, os pontos e orikis. É como é: quem viu, viveu...!  

Um comentário:

  1. Esse disco poderia ter sido um disco histórico se não fosse pela incapacidade do entrevistador. Pouca objetividade e conhecimento do personagem e da cultura afro-brasileira. Uma pena..

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Clique no logo e visite

Link Quebrado - clique no logo e informe